Música Gospel Brasileira

De acordo com a Wikipédia, a “música gospel é um género musical composto e produzido para expressar a crença, individual ou comunitária, cristã. A música gospel é escrita e executada por muitos motivos, desde o prazer estético, com motivo religioso ou cerimonial, ou como um produto de entretenimento para o mercado comercial. No entanto, um tema de música gospel é louvor, adoração ou graças a Deus, Cristo ou o Espírito Santo.”

Este estilo popularizou-se no Brasil no final da década de 1980 por intermédio de grupos e cantores como Adhemar de Campos, Vencedores por Cristo ou Voz da Verdade, entre outros. É um mercado emergente; hoje existem mais de 100 produtoras de música especializadas neste estilo de música.

No Brasil, o termo Música Gospel serve para expressar toda a expressão musical da fé evangélica, saindo um pouco do conceito norte-americano. Na década de 90, os discos de gospel tornaram-se na bola da vez e surgiram os primeiros sucessos internacionais de música gospel brasileira. Além disso, o rock cristão começa a ganhar adeptos com bandas como Resgate, Catedral e Fruto Sagrado.

Em 2011, foi criado o Troféu Promessa (com o apoio da Rede Globo) para premiar os talentos da música gospel. Além disso, foi criado o Festival Promessa que reuniu cantores de gospel conhecidos como Diante do Trono (Ana Paula Valadão), Fernandinho ou André Valadão.

Recentemente a Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD) afirmou que “a música gospel (no tocante às três esferas de música religiosa: Música Cristã Contemporânea (CCM), Música Católica Popular e Música evangélica) é o segundo gênero mais vendido no Brasil, perdendo apenas para o Pop Rock.” A verdade é que a música gospel brasileira é o único segmento que tem crescido em todo o mercado discográfico no Brasil; em 2009, terá movimentado entre 1,5 e 3 biliões de reais.